Buscar
  • fabiorogeriosj

A morte anunciada do dinheiro de papel

Especialistas afirmam que em 10 anos o dinheiro de papel estará extinto.


Você já parou para pensar em quão rápido o conhecimento tem mudado? Essa velocidade tem um profundo impacto na educação de nossos filhos, pois muitos dos ensinamentos serão obsoletos quando chegarem à idade de aplicá-los. E o dinheiro é um deles!


O dinheiro digital

A obsolescência do dinheiro físico é um caminho natural de uma civilização que avança a passos largos rumo à máxima eficiência. Dinheiro de papel é caro, ineficiente e perigoso. Os custos logísticos e de segurança que cercam o transporte de valores é exorbitante. E já existem inúmeras tecnologias capazes de substituir as moedinhas.


E quando juntamos finanças e crianças o cenário tende ao digital. O mundo virtual já não é novidade para as crianças. Elas são capazes de interagir com ele antes mesmo de tomarem consciência disso. Acostumaram-se a construir mundos inteiros na abstração das pequenas e grandes telas.


A despeito disso, ainda estamos educando financeiramente nossos filhos com base no dinheiro que não existirá antes que atinjam a idade que mais precisarão dele. Não é raro encontrarmos crianças que acreditam em cartões de crédito mágicos, sem limites [não dá para culpá-los, quando muitos adultos o utilizam como se de fato o fossem]. O fato é que precisamos educar nossos filhos para o mundo que os aguarda, e definitivamente o mundo financeiro de nossos filhos estará na tela de um dispositivo móvel.


Pagamentos Cashless (sem dinheiro)

Uma das maneiras que encontrei para ensinar o conceito de dinheiro eletrônico para meu filho foi utilizando a mesada educativa eletrônica, através da qual ele passa a utilizar uma carteira digital para consumir, receber e transferir valores.

Um dos recursos mais democráticos para o empoderamento e o ensino prático do manuseio do dinheiro eletrônico é o pagamento via QR Code.


Este recurso é muito utilizado em países de primeiro mundo e tornou-se uma febre na China, onde a esmagadora maioria da população é desbancarizada. O motivo da disseminação viral dessa tecnologia é a superioridade populacional dos celulares frente aos humanos.


Seu filho não precisa ter uma conta bancária para ser introduzido no universo do dinheiro eletrônico. A carteira digital é o caminho mais simples para oferecer essa experiência e vivência prática.


A Tindin Educação Financeira acabou de lançar seu próprio sistema de pagamento Cashless (sem dinheiro) integrado à sua carteira digital educativa, onde a criança pode não apenas receber mesadas automáticas e recorrentes de seus responsáveis, como pode realizar transações eletrônicas, supervisionadas por seus responsáveis, por meio do QR Code.


Como funciona

Para transferir e receber valores ambos usuários precisam ter carteiras digitais da Tindin, que são gratuitas e sem qualquer anuidade. Uma vez criada a carteira, o usuário pode carregar saldo através do cartão de crédito. O valor inserido passa a circular imediatamente entre as carteiras digitais. Assim, as carteiras digitais da Tindin podem ser usadas tanto para transferir valores entre pais e filhos, como entre crianças (estimulando o empreendedorismo), quanto para pagamento de despesas em estabelecimentos comerciais que utilizem a carteira digital Tindin.


Os valores podem ser resgatados da plataforma através de transferências TED para qualquer instituição bancária brasileira, desde que respeitado o prazo de resgate de 30 dias da introdução dos recursos via cartão de crédito.


Quer ter acesso a esses e outros recursos da carteira digital Tindin? Baixe a versão atualizada agora: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.tindin&showAllReviews=true.


60 visualizações

© 2020 por Tindin Educação Financeira Ltda.